Cirurgia Bariátrica
Conhecida também como cirurgia da obesidade e cirurgia de redução do estômago. Quando a obesidade já chegou a um nível crítico e as atividades físicas não causam efeito, é necessário uma intervenção médica como a cirurgia bariátrica (baros=peso). É recomendada, principalmente para pacientes com o índice de massa corporal superior a 40.
 
Excesso de peso.O excesso de peso pode trazer agravamentos médicos como a hipertensão, diabetes e disfunções respiratórias. O tratamento contra a obesidade é considerado clínico, ou seja, é necessário que ocorra a reeducação do paciente na forma física, psicológica e nutricional.

A primeira cirurgia bariátrica foi realizada por Kremen e Liner em 1954. Nessa ocasião, o procedimento foi feito com o intuito de promover a redução de peso e foi utilizado o by-pass (desvio) do intestino. Em 1982, foi feita a inserção de um método cirúrgico que se tornou bastante utilizado ao longo dos anos, a gastroplastia vertical com bandagem. Esse método é simples e com poucas complicações. No início dos anos 90, surgiu um novo tipo cirúrgico que utilizava os mecanismos associados à restrição dos alimentos e a má absorção dos nutrientes. Foi desenvolvida por Rafael Capella e o método tem seu nome sendo bastante utilizado atualmente.

A cirurgia bariátrica não tem fins estéticos, é uma cirurgia que vai alterar o hábitos e a qualidade de vida do paciente com o objetivo de fazê-lo ter uma vida mais saudável e longa. Os métodos para o tratamento cirúrgico contra a obesidade são bem radicais e devem ser feitos em condições extremas, ou seja, quando o paciente não consegue mais reduzir seu peso sozinho e corre risco de morte devido à obesidade.

A cirurgia é dividida em dois tipos de abordagem. A abordagem aberta - aquela onde é feita uma incisão no abdômen - e a videolaparoscópica. Nesse segundo tipo de abordagem, uma câmera é colocada no abdômen para que o médico visualize a cirurgia por um monitor e nele, há menos dor no pós- operatório e uma rápida recuperação. É uma cirurgia cara e poucos hospitais administrados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) realizam o procedimento.

Clínica de cirurgia bariátrica.Pré-Requisitos para a Cirurgia Bariátrica

Para ser submetido aos tratamentos cirúrgicos, o paciente deve:

-Estar com 45kg acima do peso ideal ou com o IMC de 40 ou superior a isso;
 
-Pacientes com IMC de 35, mas que tenham problemas de saúde relacionados à obesidade;

-Estar na faixa etária de 16 a 60 anos;

-Histórico em não conseguir perder peso;

-Não possuir nenhuma doença que seja contraindicada para a cirurgia;

-Avaliação clínica completa e exames pré-operatórios.

É uma cirurgia não recomendada para pessoas que tenham cirrose hepática, problemas graves no pulmão, lesão no músculo cardíaco e insuficiência renal.

Avaliação médica

Os médicos necessitam realizar esse procedimento a fim de verificar doenças que podem ser fatores de risco para a cirurgia. A avaliação deve ser criteriosa, pois há algumas doenças intimamente ligadas à obesidade. São elas: diabetes, doenças do fígado, afecções circulatórias, alterações das gorduras sanguíneas, artroses e doenças respiratórias.

Psicólogo.Psicologia e Cirurgia Bariátrica

O tratamento da obesidade com a cirurgia bariátrica deve ser acompanhado com uma adaptação do paciente em sua nova forma de vida. Nesse momento, a psicologia ajuda o paciente a refletir sobre sua nova personalidade para que a adaptação seja a melhor possível. Antes mesmo que ocorra o procedimento cirúrgico, o paciente deve ser submetido a uma avaliação psicológica, pois se for verificada uma psicopatologia grave ou dificuldades em entender o processo que será feito, a cirurgia bariátrica pode ser contraindicada.

O período após a cirurgia é considerado pelos pacientes como o mais difícil, devido ao desconforto e falta de adaptação. Após o procedimento, o psicólogo deve acompanhar o paciente no intuito de auxiliá-lo nessa nova fase, pois ele terá que lidar com uma nova aparência, as dificuldades do pós-operatório e as limitações alimentares. É importante que ele entenda que as restrições não são um impedimento a sua liberdade.

A família também deve participar do processo de adaptação psicológica para identificar as dificuldades daquela pessoa, para que possam oferecer o incentivo necessário. Esse apoio é extremamente importante para que possíveis dificuldades e o medo do paciente sejam verificados. A família deve trabalhar em conjunto com os médicos e especialistas.

Cuidados após a Cirurgia Bariátrica

Após a cirurgia, o paciente deve tomar uma série de cuidados, visando acelerar o processo de cicatrização e a adaptação a seu novo estilo de vida. Nos primeiros dias após o procedimento, devem ser ingeridos somente líquidos de forma lenta e as orientações de uma nutricionista também são importantes. É necessário que, nesse período, não ocorra a ingestão de açúcar, pois pode se tornar um risco à vida e à saúde de quem foi submetido à cirurgia bariátrica.

A incisão que é feita para o procedimento cirúrgico deve ter seu curativo sempre trocado e o local deve ser limpo e seco regularmente. Pode ser feita a prática de exercícios moderados como a caminhada e deve-se evitar pegar coisas muito pesadas.

Cirurgia Bariátrica -  Complicações
 
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Pneumonia;
  • Hérnias;
  • Distúrbios Nutricionais;
  • Embolia Pulmonar;
  • Inchaço abdominal;
  • Evacuação fétida;
  • Dentre outros.
 
 
Cirurgia Bariátrica  -->>  Tipos de Cirurgia Bariátrica